Alvo de operação da PF, Reinaldo não participa de debato com professores

O governador Reinaldo Azambuja, candidato à reeleição pelo PSDB, não compareceu ao debate eleitoral da FETEMS nesta quarta-feira (12), mesmo tendo confirmado presença anteriormente.

A agenda do candidato, contendo a data do debate como confirmada, havia sido divulgada antes de ser deflagrada a Operação Vostok nesta quarta pela manhã. A cúpula do governo de Reinaldo é alvo da operação da Polícia Federal que apura suposto esquema de pagamento de propinas em troca de benefícios fiscais em Mato Grosso do Sul.

Mesmo sem o candidato, o debate segue normalmente com a presença dos candidatos Junior Mochi (MDB), Marcelo Bluma (PV), João Alfredo Danieze (PSOL), Odilon de Oliveira (PDT) e Humberto Amaducci (PT).

Operação

Nesta quarta-feira (12), a Polícia Federal divulgou que aproximadamente 220 policiais federais cumprem 41 mandados de busca e apreensão e 14 mandados de prisão temporária, no âmbito da Operação Vostok, em Campo Grande, Aquidauana, Dourados, Maracaju, Guia Lopes de Laguna, e no município de Trairão, no Estado do Pará.

Wesley Batista, dono da JBS, contou que contou que a partir do começo de 2015, até o final de R$ 2016, repassou R$ 53 milhões em propina a Reinaldo (outros R$ 17 milhões foram antecipados na campanha de 2014, totalizando R$ 70 milhões), sendo R$ 33 milhões por meio das notas fiscais fraudulentas, e outros R$ 20 milhões entregues em espécie por Florisvaldo a um emissário de Azambuja, com alguns destes encontros acontecendo, supostamente, na cidade do Rio de Janeiro (RJ).