Na fronteira com Mundo Novo, cidade paraguaia concorre com Pedro Juan

Trajeto até cidade paraguaia leva 23 minutos

Mundo Novo, no extremo sul de Mato Grosso do Sul, faz fronteira com a cidade paraguaia de Salto del Guairá, um proeminente centro de compras de livre comércio, principal concorrência com Pedro Juan Caballero, cidade fronteiriça com Ponta Porã. Unânime é o que atrai milhares de turistas até o país vizinho: Importados mais de 50% mais baratos.
São 23 quilômetros entre a cidade brasileira e a paraguaia, algo em torno de 23 minutos. O acesso é pela BR-163.

Diferentemente da linha fronteiriça com Pedro Juan Cabellero, que basta atravessar uma rua para se chegar a cidade Paraguaia, entrar em Salto de Guaíra tem burocracias, um controle que praticamente não existe na saída e entrada de Ponta Porã.

Na entrada, a aduana fiscaliza praticamente todos os veículos. Na saída a fiscalização é redobrada, controle principalmente com o contrabando de produtos ou excesso de compras fora da cota, estipulada atualmente em U$ 300.

Após a parada, é só seguir alguns quilômetros para se chegar ao paraíso das compras. Há o Shopping Queen Anne, Casa Nippon, onde se encontram aparelhos eletrônicos, perfumaria, produtos de beleza, quinquilharias para presente e artigos esportivos, assim como Shopping China, que tem uma filial na cidade. Outro shopping da cidade, este mais requintado, é a Bless. Dentro dele, só as melhores marcas e grifes internacionais.

Proibido no Brasil, os cassinos funcionam livremente no Paraguai, dentro de hotéis de luxo, com piscinas, restaurante, spa, entre outros serviços.

Cenário menos caótico

Pobreza, trânsito carregado, ambulantes por toda parte, essa costuma ser a paisagem da fronteira, mas aparentemente, a situação caótica na cidade é menos intensa se compara a Ciudad De Leste ou Pedro Juan. A disparidade entre a fronteira com paracompradores não é no preço, que segundo eles acaba sendo similar, mas sim na organização. “Em Ponta é mais perigoso, é tudo muito bagunçado, enquanto aqui a sensação de segurança é maior. Tem placas indicando os lugares e os shoppings ficam próximos um dos outros”.

O visitante que afiar os ouvidos poderá se surpreender por uma fala suave nas ruas, diferente do espanhol. O idioma guarani é mantido vivo, como símbolo nacional. Ah, como não podia faltar, também vai encontrar uma boa chipa.