Caso Dirceu Bettoni continua em investigação sem apontar suspeitos

Delegado no caso de prefeito de Paranhos comentou ‘não haver provas de mandante de a execução ser o pecuarista brasileiro do Paraguai’.

Segundo levantamentos da equipe de investigação, que tem à frente da coordenação o delegado titular de Polícia Civil, em Amambaí, Dr. Mikaill Alessandro Gouveia Faria, há conversas desencontradas em relação ao mandante do atentado contra o prefeito de Paranhos, Dirceu Bettoni (PSDB), e que até o momento transcorre em vários pontos de analise para investigações e que o brasileiro pecuarista que reside no Paraguai, esta mais para desinformações, sem nenhuma prova que aponte como suspeito.

Além da motivação política ou pessoal foi propagado que  um brasileiro que reside no Paraguai por  adquirir uma propriedade do atual prefeito de Paranhos em território paraguaio, com parte ficando ao próprio gestor municipal, foi apresentado em linha investigativa, que seguidamente descartada hipótese de principal suspeito, por ser de responsabilidade de Dirceu Bettoni, até a conclusão do processo de transferência da propriedade rural, conforme apresentação de documentos e com registro de mensagens por aplicativo com demonstração de cordialidade, sem apresentar ameaças e desavenças de ambas às partes.

Outras ações investigativas estão procedendo com laudo de declarações de um homem suspeito de intermediar o atentado contra o prefeito, morto a tiros no domingo (17) quando saia do interrogatório na Delegacia de Paranhos; Casal preso em Rio Brilhante, no sábado (16) suspeito da execução quando fugia para Campo Grande, confirmando em receber R$ 20 mil reais; alinhado as investigações quanto à vida pessoal como rixa, agiotagem ou motivação do meio político em tramitação.

O prefeito Dirceu Bettoni (PSDB), de Paranhos, cidade de fronteira com o Paraguai, retorna ao comando do município nos próximos 30 dias, período de avaliação medica após sobreviver um atentado contra a sua vida, por disparos de arma de fogo- possivelmente de revólver de calibre 32 ou 38, quando chegava a sua residência na noite de quinta-feira 14. As informações foram repassadas pelo prefeito interino, o vice-prefeito e também medico Luciano Rodrigues (DEM). O prefeito foi atingido na barriga, queixo, ombro e de raspão na cabeça, sendo transferido para um hospital de Dourados onde passou por cirurgias.