Os vigilantes bancários e seguranças de transportes de valores, estrarão em greve nesta sexta-feira (1). De acordo com o Seesvig (Sindicato dos Empregados em Empresas de Segurança Privada), todos os 70 carros fortes de transportes de valores de Mato Grosso do Sul irão parar.

Com isso, faltará dinheiro nos caixas eletrônicos, além do atendimento nas agências que poderão ser comprometidos. “Mesmo se sair uma liminar, obrigando que 30% do efetivo trabalhe, não será suficiente”, disse Celso Adriano Gomes, presidente do Seesvig.

A categoria reivindica, o adicional de 30% de risco de vida, no salário dos vigilantes que hoje é de R$ 847,50. Esses 30%, compreende em R$ 240 a mais no holerite. Atualmente os trabalhadores da área recebem 9% de periculosidade.

A lei que aumenta o valor de risco de vida, foi sancionado pela presidente Dilma Roussef, em dezembro do ano passado. Das 36 empresas, que utilizam o serviço dos vigilantes, apenas 3, pagam os 30 %, afirma o sindicato.

Mato Grosso do Sul tem aproximadamente 6 mil trabalhadores da área, enquanto Campo Grande 1.500.

Também nesta sexta, A Confederação Nacional dos Vigilantes, fará uma paralisação das atividades por 24 horas em todo o País.

Representantes do Sindesv-MS (Sindicato das Empresas de Vigilância, Segurança e Transporte de Valores do Estado do Mato Grosso do Sul), não puderam conversar com a reportagem, pois estavam reunidos durante esta sexta, junto com sua assessoria jurídica.

O Seesvig, junto com outras 11 categorias que fazem parte da União Geral dos Trabalhadores (UGT), se reuniram hoje em sua sede em Campo Grande, e discutiram a mobilização.

Participaram da reunião o Siems (Sindicato dos Enfermeiros de Mato Grosso do Sul); Sindmassa (Sindicato Intermunicipal dos Empregados Vinculados nas Indústrias de Fabricação de Massa Alimentícias); Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis de MS); Sisem (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais); Sindmóveis (Sindicato dos Corretores de  móveis do MS); Senalba (Sindicato dos Empregados em Entidades Culturais, Recreativas, de Assistência Social, de Orientação e Formação Profissional no Estado de Mato Grosso do Sul); Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação do Estado de Mato Grosso do Sul (Seac); Sindicato das Indústrias de Alimentação de MS; (Sind Administradores) Sindicato dos Administradores de Mato Grosso do Sul; Sindicato dos Petroleiros; Sinpromes (Sindicato Profissional dos Motociclistas Sobre Duas ou Três Rodas) e Sindicato dos Frigoríficos de MS.

Policia Militar intensifica patrulhamento em Região de Bancos em Mundo Novo