Mundo Novo (MS)- Policiais Militares lotados no Terceiro Pelotão de Mundo Novo, realizaram na manhã de segunda-feira (25), na região central da cidade, coletas de assinaturas para as campanhas “Reaja MS” e “Pelo Fim da Impunidade”.

Os policiais abordaram pedestres e condutores de  veículos, para explicar os motivos da mobilização e pedir a adesão da comunidade as duas iniciativas.

A Campanha Reaja MS, foi lançada no Estado em janeiro e trata-se de um projeto que visa aumentar a pena dos crimes cometidos contra servidores da segurança pública, como policiais federais, rodoviários federais, civis, militares, bombeiros e guardas municipais, Poder Judiciário, Ministério Público e agentes do Sistema Penitenciário no exercício de suas funções. A medida também vale quando o crime for praticado contra cônjuge, parentes, irmão, tio ou sobrinho na intenção de intimidar o servidor.

Já a campanha Pelo Fim da Impunidade propões a adoção de penas mais rígidas para os crimes contra a vida, através do endurecimento das penas a serem inseridas na nova proposta de Código Penal, já que as penas vigentes remontam à criação do Código Penal, em 1940. Entre as sugestões  a serem avaliadas pelos pelos parlamentares estão:

• Aumento do período máximo de prisão de 30 para 50 anos.

• Aumento da pena mínima para o crime de homicídio simples, de 6 para 10 anos

• Elevação do tempo para progressão de pena.

• Volta do exame criminológico para concessão de benefícios penais. Se você defende a vida e concorda com nossa posição, faça parte dessa luta

Comandante do Pelotão de Mundo Novo, o capitão PM Joeder Martins explica que além de colher assinaturas, este contato dos policiais com a comunidade, serviu para que o cidadão efetuasse denúncias de   crimes que estão ocorrendo em Mundo Novo. “ Estamos fazendo policiamento comunitário, pois ficamos mais próximos do povo e conhecendo melhor seus problemas”, afirma.

Os policiais também repassaram dicas de segurança para os condutores de veículos e fiscalizaram a documentação dos motoristas e veículos.  Até o momento da finalização desta matéria, ainda não havia sido finalizado os números de assinaturas coletas pelos policiais.