Policiais paraguaios estão neste momento no departamento de imigração nesta segunda-feira (29)em contato com a Polícia Civil brasileira para entregar Dhionathan Celestrino, de 21 anos, que ficou conhecido como o ‘Maníaco da Cruz’.

Segundo o delegado Clemir Vieira, de Ponta Porã, uma equipe da polícia brasileira já está na linha internacional aguardando Dhionathan. “Ele vai para a Polícia Federal por um procedimento de praxe e, de lá, vamos encaminhá-lo a Unei da cidade”, esclareceu.

O delegado informou que há um mandato de busca desde que o jovem fugiu. Em relação a declaração do Secretário de Justiça e Segurança Pública, Wantuir Jacini, de que Dhionathan não seria levado para uma Unei por já ter cumprido sua internação, o delegado esclareceu que tem ordens para levar o Maníaco para a unidade.

“Temos que levá-lo para lá. Caso tenhamos algum problema em entregá-lo, ele deve ficar na delegacia de Ponta Porã e aguardar nova decisão judicial”, explicou.

Em posse de pistas do seu paradeiro, o delegado Vieira diz que repassou as informações para a polícia paraguaia, na última sexta (26) e ele então foi flagrado trabalhando em um lava-jato e morando há 22 dias em um pensionato para homens solteiros.

Dhionathan foi preso nesta segunda-feira pela Comissaria de Polícia de Horqueta, cidade paraguaia a cerca de 130 quilômetros de Ponta Porã.

Crimes brutais

Policiais em Ponta Porã no momento da entrega de Dhionathan Celestrino

Dionathan residia em 2008 com a família no município de Rio Brilhante, distante 160 quilômetros de Campo Grande. Ele assassinou três pessoas por estrangulamento e ainda utilizava uma faca na qual ele escreveu INRI (Jesus Nazareno Rei dos Judeus).

Durante o ritual, o ‘maníaco da cruz’ ainda deixava as vítimas em forma de uma cruz e por isto foi dado a ele este apelido. Dionathan ainda realizava um julgamento, para escolher quais as pessoas eram impuras e a partir daí cometia os crimes.