Senador não quer divulgação da sua relação com Cerveró, envolvido no escândalo da Petrobras

Cerveró
Foto: Antonio cruz/abr
Cerveró teria sido indicado por Delcídio para diretoria da área internacional da Petrobras

O senador Delcídio do Amaral (PT), pré-candidato a governador do Estado, sofreu mais uma derrota no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, na sua luta para tentar calar oCorreio do Estado na publicação de matéria envolvendo o seu nome nos escândalos na Petrobras. Ele pediu, por intermédio de seus advogados, a imediata revogação do efeito suspensivo concedido pelo desembargador Júlio Roberto Siqueira Cardoso, sob alegação de que as matérias publicadas no recurso interposto pelo jornal e seu acionista, jornalista Antonio João Hugo Rodrigues, não estavam legíveis, além de ausência de procuração dos advogados.

A guerra para censurar o Correio do Estado não parou neste processo. Delcídio propôs outra ação na Justiça para impedir a publicação de sua imagem (fotos), além de pedir indenização. Por ser homem público, o senador está exposto a críticas e elogios nos órgãos de imprensa. Se fosse assim, a presidente Dilma Rousseff, os mensaleiros e os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), que são alvos de críticas, deveriam também pedir a proibição de publicar suas imagens nos jornais. Mas não o fazem por defenderem a liberdade de imprensa e o Estado Democrático de Direito.

Mas em Mato Grosso do Sul, o senador Delcídio do Amaral espera sempre dispor da decisão de juízo de primeira instância para censurar arbitrariamente o Correio do Estado. O mesmo senador já fez discurso no Congresso Nacional defendendo a liberdade do jornal de criticar os políticos. Ele foi contra, na época, a censura imposta pela Justiça estadual. Hoje, procura a mesma Justiça para calar o Correio do EstadoA reportagem é de Adilson Trindade.