10178157_717207228320542_7979705561814394250_n
Foto: Rafaela Martins / Agência RBS

Para conseguir se aproximar de adolescentes entre 12 e 16 anos, o suspeito de pedofilia, preso em Brusque na manhã desta quarta pela DIC de Balneário Camboriú, utilizava perfis falsos de adolescentes no Facebook. Conforme o delegado responsável pelo caso, Osnei de Oliveira, dessa forma ele coagia a vítima a se exibir na webcam e depois armazenava as imagens no computador.

— Com esse perfil ele conseguia se aproximar das vítimas e assim ia obtendo informações e imagens comprometedoras. Quando conseguia começava a extorquir as meninas, ameaçando divulgar o conteúdo, então elas acabavam cedendo — destaca.

Segundo o delegado, as vítimas também relataram que ele estabelecia 20 encontros, mas caso elas indicassem outras adolescentes, diminuíam o número de encontros.

— Assim ele ia conseguindo uma rede cada vez maior. Uma das vítimas teve contato com ele em duas oportunidades, na segunda ocorreu o estupro na praia Brava, em Itajaí — relata.

Oliveira diz ainda que caso alguma menina negasse os pedidos, ele postava o conteúdo pornográfico na internet:

— Muitas das vítimas tentaram suicídio em função disso.

Foto: Rafaela Martins / Agência RBS