gaeco13
Foto Divulgação

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) deflagrou na manhã de ontem terça-feira (3), em Campo Grande, a “Operação Progresso”, realizada em parceria com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), através da Polícia Militar, por meio do Batalhão de Operações Especiais (BOPE) e do Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque), e da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen).

A ação resultado de mais de 4 meses de investigações, culminou hoje no cumprimento de mais de 10 mandados de busca e apreensão, sendo 4 deles em residências espalhadas pela cidade e outros 6 no Instituto Penal de Campo Grande, Presídio Semiaberto da Gameleira, Presídio Estadual de Dourados e também nas unidades prisionais de Corumbá. Além disso, no decorrer das investigações foram lavrados 4 Autos de Prisão em Flagrante (APF), nos quais 6 pessoas foram autuadas e presas.

Foram cumpridos nos presídios 6 mandados de prisão contra indivíduos que quando soltos tiveram envolvimento com o narcotráfico, que tiveram ainda as celas onde cumprem penas revistadas, sendo nestes locais apreendidas diversas anotações que comprovam a ligação com grupos criminosos.

Já nas residências foram apreendidos mais de R$ 11 mil em espécie, vários aparelhos de telefones celulares, um veículo importado de luxo e uma motocicleta, além de mais anotações que terão as informações cruzadas com aquelas encontradas nos presídios.

Ao todo foram expedidos à pedido do Gaeco, 10 mandados de prisões preventivas, 6 contra internos dos presídios e outros 4 contra pessoas em liberdade, sendo que destas, apenas uma foi presa. De acordo como promotor Marcos Alex Vera Oliveira, coordenador do Gaeco, dois acusados já estavam foragidos e um terceiro continua sendo procurado pela polícia.

“A ação teve início às 4 horas da manhã nos presídios e às 6 horas com a entrada dos policiais nas residências para as quais foram expedidos mandados de busca e apreensão e, consideramos a ação sucesso total, porque precisávamos comprovar a ligação entre essas associações criminosas e isso foi feito”, explica o coordenador do Gaeco.

A ação batizada de “Operação Progresso” tem como objetivo a desarticulação de indivíduos e associações criminosas ligadas como tráfico de drogas. “Progresso é o indivíduo dentro de grupos criminosos que tem o papel de levantar recursos, como a ideia é justamente tirar essas pessoas de circulação, optamos por essa denominação”, finaliza Marcos Alex.

Fonte: Portal do Cone Sul