Governador Reinaldo Azambuja apresentou ontem os resultados da caravana em Coxim (Foto: Paulo Ribas/Correio do Estadol)
Governador Reinaldo Azambuja apresentou ontem os resultados da caravana em Coxim  (Foto: Paulo Ribas/Correio do Estadol)
Governador Reinaldo Azambuja apresentou ontem os resultados da caravana em Coxim
(Foto: Paulo Ribas/Correio do Estadol)

A Caravana da Saúde promete deixar mais do que o fim das filas de espera das cirurgias eletivas. Chegando a Ponta Porã no próximo dia 30, o projeto irá inaugurar dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para o município. “Também serão entregues ultrassom, raios-x digital e aparelho de tomografia para a população”, acrescentou o governador Reinaldo Azambuja.

Ao todo serão 15 dias de ação na cidade,  sendo que cinco deles serão para atendimentos no município de Amambai. A meta é repetir ou superar a aprovação de 98% de quem foi  atendido na primeira etapa, em Coxim. O coordenador do programa, Marcelo Melo, explica que além de zerar a fila, a ação tem deixado um legado de humanização no atendimento da saúde pública. “Estamos capacitando os profissionais dos locais onde passamos, com o protocolo do Ministério da Saúde”.

Em Coxim, o programa devolveu a visão de 714 pessoas que aguardavam a fila da cirurgia eletiva de cataratas e pterígio, além de atender 10,5 mil usuários do Sistema Único de Saúde. O número superou a expectativa do governo do Estado, mostrando que a demanda do interior é maior do que os dados levantados, já que a expectativa era realizar 600 cirurgias.

O secretário de saúde de Coxim,  Rogério Souto, afirma que o trabalho da oftalmologia foi emblemático para o município. “Nós realizamos o serviço, mas a caravana foi um plus para a saúde.Agora estamos com a equipe do governo formatando um projeto fixo para evitar que essa fila longa e agonizante volte”, enfatizou. Segundo ele, além das cirurgias oftalmológicas, outras 70 pessoas passaram por procedimentos ginecológicos, ortopédicos e geral.

Também ficou definida  a implantação do setor de nefrologia no Hospital Regional da cidade, para atender a região norte, resta apenas a autorização do governo federal. “Esse é nosso grande sonho e o governador já sinalizou que está empenhado em torná-lo realidade até o final do ano. Queremos atender 50 pessoas que possuem histórias de muita comoção, já que deixam de viver para tratar da saúde e fazem três viagens por semana para conseguir o tratamento de hemodiálise”, reforçou Souto, que está com um representante da Secretaria Estadual de Saúde (SES) para estudar a ampliação de ofertas.

A caravana vai passar por 11 microrregiões do Estado até o final de 2015. Depois de Coxim e Ponta Porã, já está sendo organizada a viagem do serviço para Três Lagoas, próximo do dia do aniversário do município, que acontece no dia 15 de junho. Não existe o cronograma dos dias em que a ação chega a cada uma das cidades que vão receber o projeto. Após Três Lagoas, outras oito microrregiões vão receber o caravana: Paranaíba, Nova Andradina, Aquidauana, Campo Grande, Dourados, Corumbá, Naviraí e Jardim.

Junto com o programa, que tem 170 profissionais da saúde e 14 veículos equipados, vão outras 30 entidades parceiras, com 386 voluntários. Ontem, durante a cerimônia de agradecimento aos integrantes do projeto, havia o sentimento de dever cumprido e a vontade de continuar promovendo a qualidade de vida para a população do interior. O diretor-presidente do Centro Especializado de Recuperação (CER)/Apae, Ottão Pereira de Almeida, aproveitou para confirmar que vai duplicar a quantidade de cadeiras de rodas doadas. “Nessa próxima edição o plano é de dobrar o número de doações com 120 novas cadeiras para beneficiar as pes

Fonte: Correio do Estado