Vítima foi morta com várias facadas e o autor usou um fio de cobre para se enforcar, diz polícia.

63571680d2c56f7e3f1e34766ae69876

O técnico de som Reginaldo da Costa Gomes, de 33 anos, matou a esposa à facadas e depois cometeu suicídio, nessa terça-feira, 18 de agosto, em Amambai.

O homicídio seguindo de suicídio ocorreu no início da noite na residência do casal, situada na região da Vila Indiana.

Maria Ana Gonçalves, de 36 anos, foi morta com várias facadas que atingiram a perna, a barriga e o peito da vítima.

A mulher também apresentava corte na mão, o que para a polícia indica que ela teria tentado se defender das agressões.

De acordo com Polícia Militar, que atendeu a ocorrência e preservou o local até a chegada da Polícia Civil para realizar o trabalho de perícia, após matar a esposa, “Buiú”, como também era conhecido, teria usado uma cadeira de plástico para amarar um fio de cobre, aquele usado em instalações elétricas, em uma travessa da casa, para se enfocar.

Segundo a polícia, antes de assassinar a esposa e se enforcar, Reginaldo Gomes teria elaborado uma lista com nomes e telefones de pessoas que ele queria que fossem avisadas sobre o acontecido na casa.

Sobre o sofá da sala foi deixado um recado, supostamente escrito por Reginaldo em um papel com o dizer “arromba a porta do quarto”.

O bilhete seria, segundo a polícia, uma orientação às pessoas que chegassem ao local para que arrombassem a porta do quarto e encontrar o casal morto.

De acordo com a Polícia Militar, que chegou até a residência do casal depois de ser acionada por populares, após tentar, sem sucesso, comunicação com Reginaldo, os policiais arrombaram a porta do quarto, foi quando se depararam com Maria Ana morta sobre a cama e Buiú pendurado pelo pescoço.

Diante da situação os policiais retiraram o técnico de som e acionaram o Corpo de Bombeiros na tentativa de salvá-lo, mas quando os bombeiros chegaram ao local constataram que Reginaldo já estava morto.

Segundo amigos do casal ouvidos pela reportagem do A Gazetanews, Maria Ana Gonçalves, que era de origem indígena, tinha dois filhos, um já maior de idade, que seria morador em uma aldeia em Amambai e outro de 13 anos, que residia com o casal, mas nenhum deles eram filhos biológicos de Buiú.

Ao ser ouvida pela Polícia Civil, uma mulher que reside em uma casa na parte da frente, porém no mesmo terreno da residência das vítimas, momentos antes de o casal ser encontrado trancado no quarto, Maria teria pedido para o filho que morava com eles se deslocar até a casa de um casal compadre deles para chamá-los.

Segundo as informações, teria sido o próprio menino que ao retornar da tarefa passada pela mãe, teria soado o alarme que sua mãe e seu padrasto estariam trancados no quarto e não respondiam aos chamados.

A moradora também relatou a polícia, que nos últimos dias o casal vinha mantendo frequentes discussões.

Após os levantamentos realizados pela equipe de investigação no local, o delegado titular de Polícia Civil, em Amambai, Dr. Mikaill Alessandro Gouveia Faria, informou que um inquérito policial será instaurado para apurar detalhes do caso. (Vilson Nascimento)

Fonte: A Gazeta News