Só em Campo Grande, são 92 grávidas sob monitoramento
Só em Campo Grande, são 92 grávidas sob monitoramento
Só em Campo Grande, são 92 grávidas sob monitoramento

Em Mato Grosso do Sul, 142 grávidas estão sendo monitoradas com suspeita de zika vírus, sendo 92 delas apenas em Campo Grande. O grande risco é que os filhos de cada uma delas desenvolva microcefalia, que é a má formação cerebral do feto decorrente do zika. Apesar de não haver nenhum caso confirmado de microcefalia no Estado, o secretário estadual de saúde, Nelson Tavares, afirma que a situação é crítica e que “a qualquer momento podemos virar outro Pernambuco”, fazendo menção ao Estado brasileiro onde há o maior número de bebês identificados com a má formação: 1.373.

E a situação é de fato crítica. Na Capital, todos os dias, 15 pessoas são notificadas com sintomas do zika vírus nos postos de saúde. O número é considerado pequeno se comparado com a quantidade de pessoas com suspeita de dengue, por exemplo, que é de 155 atendimentos diários. Porém, por conta de graves sequelas que podem atingir o feto, o zika acaba sendo a mais perigosa para as gestantes.

Fonte: Correio do Estado