Governador-Reinaldo-Azambuja-se-reuniu-com-o-presidente-da-Petrobras-Pedro-Parente-nesta-segunda-feira-na-sede-da-estatal-no-Rio-de-Janeiro
Governador Reinaldo Azambuja se reuniu com o presidente da Petrobras, Pedro Parente, nesta segunda-feira na sede da estatal no Rio de Janeiro – Foto: Assessoria

O governador Reinaldo Azambuja e o presidente da Petrobras, Pedro Parente, se reuniram nesta segunda-feira (18), na sede da estatal no Rio de Janeiro (RJ), para discutir a retomada das obras da Unidade de Fertilizantes Nitrogenados III (UFN III) em Três Lagoas. Segundo Reinaldo, Parente “garantiu que a fábrica será concluída”.

Durante o encontro, o presidente da estatal brasileira informou ao governador de Mato Grosso do Sul que busca parceiros para terminar a obra da fábrica, que iniciou em 2011 está 85% concluída. “Já tem parceiros interessados e ele [Pedro Parente] não vai deixar essa obra inacabada”, disse Reinaldo.

De acordo com informações da Petrobras, cerca de R$ 700 milhões são necessários para colocar a unidade em operação. O canteiro de obras no local foi paralisado anos atrás devido a desacordo comercial com o consórcio contratado pela empresa brasileira de petróleo, gás e seus derivados.

A UFN III foi anunciada com o objetivo de reduzir pela metade a dependência brasileira de empresas internacionais de fertilizantes e atender a demanda pela expansão do agronegócio nacional. A fábrica terá capacidade de produzir 1,2 milhão de toneladas de ureia e 70 mil toneladas de amônia anuais. A unidade atenderá, preferencialmente, os mercados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo e Paraná.

MSGás

Ainda durante a reunião de trabalho com Pedro Parente, Reinaldo tratou da expansão da produção e comercialização de gás natural pela Companhia de Gás do Estado de Mato Grosso do Sul (MSGás), sociedade de economia mista composta pelo Estado, com 51% das ações, e pela Petrobras Gás (Gaspetro), com 49%.

Atualmente, a distribuidora comercializa 440 mil m³/dia de gás natural para 5.535 unidades usuárias nos segmentos residencial, comercial, industrial, automotivo (GNV) e cogeração. “A intenção é dobrar essa capacidade e recebemos sinalização positiva a Petrobras”, afirmou o governador.