muniçõesUm pescador profissional de 62 anos de idade, residente às margens do Rio Paraná em Mundo Novo, foi preso na tarde de segunda-feira (31), por uma equipe do Terceiro Pelotão da Polícia Militar daquele Município, após ter estuprado a enteada de 15 anos.

O suspeito convive há treze anos com a mãe da adolescente, e há sete anos abusava da jovem, através de caricias em seus seios e órgão genital, tendo a deflorado tão logo ela completou doze anos de idade. Todas as quatro irmãs da vítima, sendo uma de 24 anos, outra de 21, outra de 18 e a sua irmã gêmea, também foram vítimas das carícias do padrasto, porém ela foi à única em que a conjunção carnal ocorreu.

  A adolescente relatou aos policiais militares responsáveis pela prisão do homem, que após a separação de seus pais, ela morou certo tempo com sua mãe e em seguida com o pai em uma cidade vizinha, mas assim que sua mãe arrumou um marido, o casal foi buscá-la. Poucos dias  depois de estar morando na mesma casa do suspeito, ele iniciou os abusos.

Ela disse que não denunciou antes devido ao terror psicológico feito pelo estuprador, que dizia que caso fosse delatado, mataria a vítima, sua mãe e suas irmãs. Ele não a deixava manter contatos com garotos de sua faixa etária e afirmava também que caso a garota tivesse um namorado, ele mataria o casal. O padrasto não usava preservativos durante as relações e nem a vítima fazia uso de métodos anticoncepcionais, pois o “sonho” do maníaco era ter um filho com ela.

Na tarde de domingo (30), a irmã gêmea da vítima, lhe avisou que iria embora de casa, pois não suportava mais a vida de escravidão e maus tratos que o homem impunha a elas. Neste momento, chorando, a adolescente disse que para ela a situação era ainda pior, pois era vítima constante de abusos sexuais e ameaças e se obrigava a manter relações com o ele por temer pela segurança da família.

Avisados do fato e sabendo que costumeiramente o estuprador sob o pretexto de ensinar a garota a dirigir a colocava no carro, conduzido a local ermo, onde mantinha relações sexuais com a garota, os militares passaram a monitorar a situação, sendo que lograram êxito em prende-lo, logo após a consumação do ato.

Ele foi levado à Delegacia de Polícia, enquanto que a vítima foi encaminhada ao Conselho Tutelar, onde acompanhada pela irmã de 24 anos, relatou o fato aos policiais e aos conselheiros tutelares. O suspeito responderá pelos crimes de estupro, ameaça e ainda posse irregular de arma de fogo, pois em sua casa foram encontradas uma espingarda de calibre 32, três munições intactas do mesmo calibre e 16 munições para revólver calibre 38, de origem estrangeira, sendo que todo o material foi entregue na Delegacia de Polícia.