img-20151127-wa0061A audiência que começa a ouvir nesta sexta-feira (27) as 28 testemunhas de Gilmar Olarte como réu dos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro junto Ronan Feitosa e Luiz Márcio Feliciano conta com a presença apenas do ex-governador André Puccinelli (PMDB) e o prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP).

A pedido da defesa, o advogado Jail Azambuja, o vereador Mario Cesar e o ex-prefeito de Campo Grande Nelsinho Trad foram dispensados pelo desembargador Luiz Carlos Bonassini da Silva. O próprio Gilmar Olarte não compareceu.

Jail abriu mão dos testemunhos de Mario e Nelsinho. Quanto a Olarte, a defesa argumentou que as oitivas não terminariam nesta sexta, que o vice-prefeito afastado do cargo de prefeito não seria ouvido e que, portanto, não havia necessidade da presença dele, justificativas também acatadas pelo desembargador.

Bernal e Puccinelli permanecem, juntos, na sala das testemunhas, longe dos olhos de quem acompanha as oitivas.

No total, 28 pessoas são esperadas para depoimentos. A vice-governadora Rose Modesto estava na lista, mas conseguiu adiar o depoimento dela para 22 de janeiro de 2016. Esta também será a data do depoimento de quem não comparecer hoje.

Segundo Ministério Público Estadual, o trio deve responder por lavagem de dinheiro e corrupção passiva por ter trocado cheque em branco por promessas de cargo e outras vantagens na Prefeitura de Campo Grande.