Rose Modesto se reúne com Moro para destravar Casa da Mulher na fronteira

Para tentar destravar construção da casa da Mulher Brasileira em Ponta Porã e Corumbá, a deputada federal Rose Modesto (PSDB) se reúne nesta terça-feira (30), com o ministro da Justiça, Sérgio Moro. O encontro é em Brasília, às 14h30.

A confirmação da reunião foi feita por Rose, durante entrevista à Rádio Globo de Campo Grande, na tarde de ontem (29). Ela disse que esperava ansiosamente pela agenda. “Acabou de liberar agenda com ministro Moro, para discutir sobre a questão da Casa da Mulher da fronteira, o projeto foi lançado, a pedra fundamental em Ponta Porã e Corumbá, mas o projeto não andou, já tem três anos, tenho pauta com ele hoje para discutir isso”.

A deputada comentou que o projeto previsto para as cidades de fronteira, serão parecidos com a Casa da Mulher da Capital. “No mesmo modelo de Campo Grande, espaço onde reúne todos atendimentos a mulher que sofre algum tipo de violência. Hoje na Casa da Mulher tem desde delegacia 24 horas, juizado, tem Defensoria Pública, tem atendimento psicológico para crianças menores de idade e para a vítima”.

De acordo com a deputada, na fronteira há índices alarmantes sobre a questão da violência e também há casos de feminicídio. “O projeto foi discutido ainda no governo da presidente Dilma (Rousseff), discutimos com o (Michel) Temer , mas não avançou, eu estava esperando ansiosa”.

A deputada federal sul-mato-grossense pretende discutir também, sobre a questão de segurança na fronteira. “Mas quero tratar da questão da Casa da Mulher, já tinha recursos disponibilizados e quero saber o que pode fazer para dar andamento a esse projeto”.

FEMINICÍDIO

Quando se pesquisa na internet “homem mata mulher” várias matérias aparecem de casos recentes e histórias parecidas. Na maioria dos casos, os companheiros das vítimas que não aceitam o término da relação ou mesmo por motivos fúteis, como ciúmes, acabam com a mulher morta esfaqueada, esganada ou morta a tiros.

A cada semana, uma mulher é assassinada em Mato Grosso do Sul. Em 2018, os crimes de feminicídio fizeram 32 vítimas, de acordo com a Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). O crime de Feminicídio nada mais é que o assassinato de mulheres em contextos marcados pela desigualdade de gênero. No Brasil, é também um crime hediondo.