O Dia do Trabalhador, comemorado neste 1º de maio, traz a constatação de que os direitos iguais entre os gêneros ainda não se aplicam no mercado de trabalho de Mato Grosso do Sul. Por aqui, elas ainda são minoria (41%) da mão de obra contratada, e recebem em média 14,5% menos do que os homens.

Os dados estão em relatório preparado pelo economista Áureo Torres, com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), do Ministério do Trabalho eEmprego. “É um levantamento social, que esmiúça nosso mercado de trabalho regional”, explicou.

Vinícius Squinelo

Em março de 2013, último levantamento do Caged, o estado contava com exatos 630.562 trabalhadores com carteira de trabalho assinada. A maioria atua no setor de serviços (27,4%), seguido da administração pública (21,5%) e comércio (18,9%). O restante se divide na extração mineral, indústria, agropecuária e construção covil.

A média salarial em MS é de R$ 1.576,77, porém com os homens recebendo 14,5% a mais que as mulheres. São R$ 1.663,53 de salário médio para os homens e R$ 1.451,95 para as mulheres.

As mulheres também seguem como minoria no mercado de trabalho, ocupando 41% das vagascom carteira assinada, contra 59% dos homens.

Cerca de 30% dos trabalhadores têm entre 30 e 39 anos, sendo a faixa etária com maior inserção no mercado de trabalho. A menos ativa é a dos 50 anos para frente, com apenas 14% das vagas.

Em MS, 17,6% dos funcionários ficam entre três e cinco anos no mesmo emprego, a faixa com maior destaque no tempo de serviço. Já os funcionários com mais de dez anos de empresa ocupam a menor faixa, 9,2% das vagas formais em MS.

O levantamento foi realizado com base nos dados do Caged entre 2011 e março de 2013.