No final da tarde de domingo 18, uma equipe de plantão da Energisa foi ao Acampamento Tricossi verificar uma denuncia de subtração de energia elétrica para dezenas de famílias acampadas.

Proprietário de um lote rural próximo ao acampamento, relatou que a energia foi inapropriada a ligação pelos acampados, com instabilidade em sua residência, devido ao pequeno transmissor que passou dividir com centenas de pessoas.

Uma guarnição do Terceiro Pelotão da Policia Militar de Mundo Novo esteve no local para confecção do BO.

Os moradores  reclamam do prefeito pelo não aval no auxilio para conclusão da energia , e que o município não esta mais com fornecimento de água potável, realizado pelo caminhão pipa, e que esta sendo preciso o armazenamento de água da chuva em cisternas, sendo que  muitas pessoas estão a merce,  entre as quais idosos e crianças,   pela omissão de uma  politicagem.

-Sem água é insuportável! Sem energia é um retrato que a vida sô significa para alguns… Com lagrimas relatou um dos moradores do Acampamento que quisera ficar no anonimato.

Já para Vanessa de 30 anos, disse de vencer mais uma batalha, pois com três meses já tem economizado R$ 1.500 reais com o  aluguel sendo acampada, e que realmente precisa de um espaço para criar os seus filhos, que não esta ali por esta e porque precisa.

Recentemente foi anunciado pelo município que na área de construídas as casas será uma rua, que contemplará uma divisão de uma propriedade rural ao lado do Acampamento, conquistada em  herança familiar; contribuindo para um grande alarde entre os moradores, sendo que alguns gataram com a construção de casas.