Pelo menos 404 servidores do Estado podem ser desligados em definitivo da folha de pagamento se não regularizarem a situação cadastral nos próximos 30 dias, até o próximo 15 de março.

Ao todo, segundo o governo estadual, são 65,7 mil servidores segurados do MSPrev. “O número de ausentes pode ser considerado pequeno para um processo de recadastramento dessa natureza, considerando-se o universo de convocados”, avalia o diretor presidente da Agência da Previdência Social de MS (Ageprev), Jorge Martins.

Do total de servidores em atraso no recadastramento, 22 estão ligados ao Tribunal de Justiça, e o restante, 382 ao Executivo, sendo 283 são ativos, 52 são pensionistas e 47 são aposentados.

O prazo oficial para recadastramento terminou em julho do ano passado, quando quase 95% do total de segurados atendeu o pedido do governo. Em setembro de 2016, 2;098 beneficiários que não se recadastraram tiverem bloqueio temporário dos benefícios.

Parte dos servidores que não atenderam ao censo do governo, 266 no total, estão cedido a outros poderes, e já não recebem pelo Executivo. “Ainda que esses servidores não recebam atualmente seus vencimentos pelo Estado, precisam efetuar o recadastramento para manter a regularidade de seu vínculo”, explica, Ana Carolina Nardes, uma das coordenadoras do recenseamento.

Serviço – o Censo é a atualização do banco de dados dos segurados do regime próprio da Previdência Social de Mato Grosso do Sul atinge servidores públicos de cargo efetivos civis e militares, ativos, aposentados e pensionistas. O censo deve ser realizado no mínimo a cada cinco anos para atualizar o Cadastro Nacional de Informações Sociais dos Regimes Próprios de Previdência Social, um sistema unificado que contém as informações previdenciárias de todos os servidores públicos do País.

MidiaMax